quinta-feira, 16 de julho de 2009

Homenagem ao dia do Rock:Tsuk

Bom, eu não tinha pensado em começar a fazer este quadro que eu estava bolando tão cedo, eu pensei em esperar Chuck Norris me Ajudar algum tempo para aprimorar o bagulho ou algo do gênero O_O mas vamos lá, eu decidi adiandar este quadro por que uma pessoa mandou um email para mim (muito ruim, estava com tantos erros de português que pelo amor de Deus O_O) dizendo o seguinte:

ID:FoxWhite

carol amiguo m queria que voltazze aquele contos de teror que vc posta antes no AN e n só de teror mas conto normal tb tipo a Sappphira e o tom com aqueles conto de narativa era bem loko manu pode postar issu?



Bom, eu demorei alguns DIAS minutos para decifrar sua frase inteira Fox, e isso me tocou, então vou começar a colocar contos hoje, em uma homenagem (ATRASADONA!) para o dia do rock ^^

TSUK

Bom, tudo na minha vida era perfeitamente normal, ia em Shows de bandas, colecionava discos, CDs, camisetas, brinquedos, eu adorava qualquer tipo de banda de rock, desde HeavyMetal, até o Rock Clássico e um pouco de Punk rock, um típico adolescente rockeiro, mas toda a minha vida mudou, depois daquele dia . . .



Era uma manhã pacifica na minha cidade, carros buzinando, vapor do bueiro, a senhora Elza a velha chata que estava na calçada pedindo ajuda para atravessar, além de ser obrigado a ajuda-la, ela obrigava os coitados a levarem as coisas dela, o pior é que ela morava no ultimo andar do nosso apartamento e o elevador, bom, parece que ele não está funcionando desde que eu passei manteiga de amendoim nos cabos, então, quem chegasse perto da vovó perderia 1 hora de sua vida subindo e descendo escadas. Por isso eu sempre digo, coloque os fones de ouvido no ultimo para que, quando a velha te chamar, você não precisaria nem ligar, e pode dar uma olhada no relógio e sair em disparada, fazendo à pensar que esta atrazado ou algo do tipo, eu sei o que a maioria de vocês devem estar pensando, bom, mas não é bem isto, não sou um génio, bom, sou sim, mas não gosto de falar nisso . . .


Esta bem, é fácil fugir da velha, mas, quando penso nisso, acho que devia ter a ajudado ela todos os dias, pelo menos, teria demorado horas, e nada disso teria acontecido, e eu não estaria aqui, bom, vamos continuar a historia, depois de ter fugido da velha, eu fiz o percurso de sempre, fui em direção a esquina, comprei um daqueles meus bolinhos favoritos, o de sempre, fui em direção ao metro, peguei o trem que ia em direção a fuculdade, me sentei em um banco, e coloquei a musica no máximo, afinal, só iria descer mesmo no ultimo ponto, e ainda estava no primeiro, por que fui escolher justo uma faculdade tão longe da minha casa? bom, talvez por que as mulheres mais gatas da cidade inteira estão la, ou será que é por que sou um idiota que gosta de gastar o dinheiro dos meus pais ricos? pensando nisso, acho que é as duas opções e talvez mais algumas . . .



Finalmente, 40 minutos de trem e cheguei a minha faculdade, já até pensei em ficar na faculdade como os outros alunos, o alugueu é até mais barato que o meu atual, mas eu não aguentaria conviver com tantas pessoas estranhas, todas aquelas festas toda sexta, sábado e domingo, barulhos altos até altas horas, eles começam realmente a festa depois da meia noite, eu não aguentaria, nunca irei aguentar, acabarei fazendo alguma besteira ou algo do tipo, melhor ficar com a velha Elza e o maldito elevador quebrado . . .


Primeira aula Biologia, aquele professor estranho, ele é careca e cheio de rugas, aposto que se fizessem uma pintura dele e tentassem vende em uma praça, seriam multados!


Segunda Educação Física, quando chega esta aula, todos da sala ficam alegrinhos, os garotos nem se fala, o sorriso deles acabam batendo uns nos outros, não sei por que sorriem, é só uma aula, eu ainda não sei se sorriem por causa da aula ou por causa da professora . . .



Terceira aula Historia, o queridinho das meninas, só por que o professor usa perfumes caros e escova os dentes durante 20 minutos todas as garotas da sala ficam empolgadinhas com ele.


Quarta aula, estou quase explodindo de extrese, que sala mais falsa, é a pior de todas, quando a professora de português entra na sala, só faltam pular em cima dela, isso me da nojo, essa faculdade só tem idiotas, neste momento eu sai da sala, a professora nem percebeu, eu odeio isso, bom, eu odeio a minha sala no colégio por que são todos uns idiotas da vida, não sabem diferenciar nem mesmo a Teoria do Caus de uma Teia alimentar, também, para que eles precisariam disso, esta faculdade é a preferia da cidade, mesmo tirando a menor nota possível você passa.





Finalmente o pesadelo acabou, eu achava que iria explodir dentro daquela coisa, então, uma coisa completamente inesperada aconteceu, no final da aula, um dos caras mais populares da faculdade chegou em mim e disse que queria que eu fosse em sua festa no mesmo dia, a noite, dai, uma coisa completamente diferente do meu vocabulário saio de minha boca: Ta, eu vou nesta sua festa . . .


E quem diria, este pode ter sido um dos primeiros e únicos erros de minha vida, ou talvez só o primeiro de muitos somente naquele dia, me arrumei, penteei meu cabelo, coloquei uma roupa bem básica, botas do exercito, calça de para quedista, camiseta do Kiss, um colar com uma cruz, me arrumei, peguei minha carteira, e fui em bora, desci correndo as escadas, por algum motivo queria estar la rápido, apesar de que, mesmo chegando rápido não irei em bora tão rápido, pelo menos era isto que eu pensava, sai em disparada, e adivinha, quando chego na porta do hotel encontro a velha Elza, com varias sacolas no chão, pagando o táxi, ela olhou para mim, e perguntou se eu podia levar as coisas dela para seu andar, eu sai correndo, nem olhei para traz, se eu, tivesse ajudado ela, pode se dizer que não estaria aqui, este com certeza foi um dos meus erros, se eu demorasse pelo menos 10 minutos com certeza não estaria nesta situação.


Peguei o trem, agora, não precisaria ir até a ultima estação, e sim, somente 2 estações, eu até mesmo via pessoas da minha faculdade no trem, parece que todos estavam indo para la, só de pensar que ficaria mais de 30 minutos ouvindo Funk já me enoja, tudo me enoja . . .



Finalmente cheguei na festa, todos, tudo, se divertindo, nem ligam de ser quarta feira, e, amanhã ter prova, peguei um copo, coloquei um pouco da bebida, ela erq rocha, meio azulada, parecia bem suspeita, assim que levei a boca senti o cheiro forte de álcool, decidi ir no banheiro, jogar aquilo fora, não poderia beber, mas também não posso jogar fora na frente dos outros, apesar de achar que ninguém iria perceber, estavam todos bêbados, no máximo um ou dois que não bebiam, e uns 3 que acabaram de chegar, o resto, estavam completamente bêbados!



Demorei uns 5 minutos para conseguir achar o banheiro, eram tantos quartos naquela casa, isto é, se fosse uma casa, na verdade era um antigo quartel do exercito, as paredes eram todas de metal, o som era facilmente bloqueado por elas, era o local perfeito para festas, não incomodaria os vizinhos, e poderiam deixar a musica na altura que quiserem, contando que fechem as portas.



Entrei no banheiro, ele estava vazio, tinha uma pessoa estranha la, todo de preto, sobre-tudo, chapéu de gangster, botas e luvas pretas, eu estranhei aquele cara, assim que vi pela primeira vez, me parecia suspeito, e não era por menos . . .




Quando abri um dos box, peguei a bebida e comecei a despejar, quando percebi uma pequena possa de sangue no box vizinho, e era sangue mesmo, quando me dei conta, me virei, o cara todo de preto começou a correr, não sei por que, mas este pode ser outro erro, ainda não sei por que cometi este erro, mas eu o fiz, comecei a correr atrás do cara, ele foi para fora, pulou o sofá e foi em direção a porta, virou a esquerda e estava pronto para correr até a grama, eu também pulei o sofá mas me adiantei e pulei a janela, ficando de cara a cara com ele, não deu para ver o rosto, porque em seguida ele deu meia volta e foi em direção ao banheiro, eu o segui, ele subiu as escadas em direção ao terraço, eu acabei me enrolando com as pessoas, estava em péssima forma, desde quando eu tirei minha faixa azul no judo com 15 anos eu não fazia exercícios, e com quanta gente na escada não era para menos, quando cheguei la encima, o cara parecia que tinha desaparecido, foi quando eu avistei uma pessoa, ela estava na ponta, decidi perguntar para a pessoa se teria visto este individuo aqui, quando cheguei perto, percebi que era uma mulher, elas estava com um vestido vermelho, parecia que estava perdida ou algo assim, duvido aquelas pessoas bêbadas e indecentes vestirem algo assim, quando cheguei mais perto comecei a estranhar, cheguei por traz dela e coloquei minha mão sobre o ombro dela, e a puxei, quando vi a cara dela, eu percebi que ela estava chorando, parecia bem triste, foi ai que eu perguntei:









- Você esta bem?




- Estou, não se preocupe com isso-Em seguida virou-se novamente. Nesse momento, eu decidir voltar para festa, ou talvez para minha casa foi isso que eu pensei, quando eu estava prestes a abrir a porta, eu pensei que poderia ser ela o cara, afinal, ele estava todo de preto, poderia mesmo, então, quando me virei novamente, ela já não estava mais la, é como se tive-se pulado, mas, seria impossível pular a esta altura, seria quase 4 metros, nem mesmo uma pessoa treinada conseguiria, ou talvez conseguiria, quando fui em direção as grades de protessão, eu a vi, esta indo em direção a saida, de repente, ela parou, olhou para traz e sorriu, enganado por uma mulher, eu fui facilmente enganado, isto meu subiu a cabeça e eu acabei pulando, subi na grade e pulei encima dela, foi como se eu tivesse esquecido que era 4 andares, foi um dos melhores momentos da festa, não tinha ninguém do lado de fora, não dava mais para ouvir a musica, eu só pulei, parece que alguém estava do meu lado, acabei caindo em um arbusto, me levantei rapidamente e vi a mulher, estava com um olhar diferente, como se tivesse "gostando" pensei naquele momento que ela poderia ser uma caçadora de recompensa, ou talvez uma mercenária, tudo o que sabia é que ela matou um homem, eu não ligaria se ela mata-se 10, 20, ou 30 mas, eu acho que eu também estava gostando, gostando da ação, ter a adrenalina a mil é muito bom, e parece que ela também estava, com a adrenalina a mil.




Ela saio correndo em direção ao gramado, eu corri atráz dela, eu não estava mesmo em forma, quando eu vi aquilo eu fiquei impressionado, ela pulou um portão, ela simplesmente pulou ele como se fosse uma criança pulando uma poça d´agua, eu não desistiria tão fácil, 2 meses no reformatorio fizeram bem a mim, eu mesmo me alistei, achava que estava muito molenga, isso foi bom, assim, eu consegui pular o portão também, quem diria, apesar de não sabem o que fazer com ela se eu a alcançasse, eu queria, eu queria muito persegui la, é como uma águia perseguindo uma cobra, mas, parece que a sorte não estava a meu lado naquele dia, ela entrou em um dos bueiros da cidade, os bueiros estavam cheio de baratas e sujos, eu fiquei com nojo de entrar, mas, a adrenalina não tem nojo, eu me atirei no bueiro, eu não me importava em ficar sujo, eu só queria perseguir ela.




Eu começai a persegui la dentro do esgoto, logo quando entrei estava um fedo, mesmo assim, continuei a persegui la, virei a esquerda, pulei uma poça que tinha la, comecei a ficar mais lerdo, e ela, continuava na mesma velocidade, como uma mulher com um vestido poderia correr tanto? depois de algum tempo, acabei me perdendo dela, e ainda estava completamente sujo, a primeira tampa que vi eu sai, quando eu sai, adivinha, eu esta bem em frente ao meu apartamento, não tinha percebido, mas parece que eu andei bastante, sai do bueiro, subi as escadas e fui diretoepara o meu apartamento, me fui tomar um banho, se lamentando de não ter conseguido pegar, mesmo não me importando com aquela mulher, eu só queria pega la, talvez, tenha sido meue spirito de masculinidade ou algo do tipo, ou, talvez só tenha sido um erro, o erro fatal que mudaria minha vida . . .




Quando sai do banho, peguei minha roupa, e percebi que tinha algo a mais em um dos bolsos, eu abri o bolso e vi algo muito peculiar, um cartão e um anel, o cartão tinha um numero, parecia um telefone, já o anel, era negro, bom, como muitos falariam, era muito "ROX", mas eu nunca saberia
naquele momento que, aquele papel e aquele anel mudaria minha vida, completamente . . .





Bom, espero que tenham gostado, e ele ira continuar . . . buaaaa ^^

0 comentários: